Pular para o conteúdo principal

DICA DO DIA

Você sabe qual era o apelido de Arthur Rimbaud?


Você sabe qual era o apelido de Arthur Rimbaud?


Jean-Nicolas Arthur Rimbaud, talvez o mais instigante e versátil poeta simbolista, teve sua obra consagrada como fundadora da poesia moderna. Apesar da efêmera carreira literária, sua produção inspirou o movimento dos “decadentes”e dos Surrealistas além de influenciar músicos e literatos até nossos dias. Com grande talento, capacidade de inovação e vocação experimental, em apenas quatro anosvariou entre três estilos poéticos completamente diferentes.

O grande poeta, ficcionista e dramaturgo francês, Victor Hugo, o descrevia como um “Shakespeare adolescente”.

A precocidade de Rimbaud deixava seus professores estupefatos, especialmente por sua incrível capacidade de traduzir a poesia latina. Aos quinze anos de idade Rimbaud já ganhara vários concursos de poemas em latim, realizados entre diversas Escolas e começava a escrever poemas em francês, sua língua natal. Desde os tempos de colégio, anunciava aos colegas que quando adulto seria explorador.





 

Toda a sua obra poética é realizada antes dos vinte anos, quando se retira para a África em uma expedição que põe fim à sua carreira de poeta e cristaliza a fama de peregrino que adquiriu muito cedo. Incansável andarilho, sua trajetória errante pelas cidades francesas e por diversos países da Europa, fez com que outro consagrado nome das artes, o poeta Stéphane Mallarmé o batizasse de “viajante notável”.

Rimbaud adquire o hábito de escapar de casa desde muito jovem, para evitar a vigília de uma mãe controladora. Sua vida de passante começa em julho de 1870, quando foge para Paris, mas é resgatado logo na chegada, graças à intervenção de um de seus professores.


Em outubro, foge novamente, a pé, passando pelas cidades de Fumay, Charleroi e Bruxelas indo chegar a Douai. Durante essas caminhadas, Rimbaud escreve seus belos poemas.

Em 1871 está na “capital do século XIX”, acolhido pelo já consagrado poeta francês, Paul Verlaine, com quem frequentará as rodas da elite cultural parisiense e viverá grandes aventuras fazendo andanças por quase toda a Europa.



Em julho de 1872 os dois viajam para Arras, em setembro estão em Londres e três meses depois, Rimbaud volta à cidade de sua família, Charleville, atendendo a pedido de sua mãe. Em 1873, retorna a Londres, para reencontrar Verlaine, depois vai a Bruxelas e de volta a Paris. Em 1874, irá novamente a Londres e a França, de onde viajará a Stuttgart, Itália, Viena, Java, Suécia, Dinamarca e Hamburgo. Em outubro de 1878, vai a Gênova, de onde embarca, meses depois, para Alexandria. Depois disso, arranja emprego em Chipre.

Em 1879 está em casa de sua família, recuperando-se de tifo. Assim que tem uma melhora, viaja para a África, onde torna-se comerciante de café e, posteriormente, traficante de armas. Vai ao Egito e a Etiópia, fazendo uma travessia de vinte dias a cavalo pelo deserto.




Ainda irá a Áden, Hugadine, Somália, Etiópia novamente e Cairo, onde comanda uma caravana de duzentos camelos e três mil fuzis. Rimbaud permanece comerciante na África até sua morte aos 36 anos de idade.

Em abril de 1891 é hospitalizado em Áden, em decorrência de um inchaço no joelho. Retorna a França quatro meses depois e, em 10 de outubro é internado no Hospital da Conception, em Marselha, onde morre quatro dias depois em decorrência de câncer na perna.


Quando o andarilhoRimbaud morreu, no hospital em Marselha, o funcionário encarregado de seu prontuário de óbito escreveu no espaço destinado ao endereço: “De passagem” (Rimbaud não era da cidade).

Charles Nicholl, em seu livro, Rimbaud na África, lembrou que essa talvez tenha sido a melhor definição do poeta: alguém que parecia estar sempre de mudança, sempre de passagem, sempre solto, sempre fugindo do passado, da poesia e de si mesmo.


Autoria:
Mires Batista Bender
Doutoranda da Fac. de Letras da PUCRS.



 

Ofertas:

Postagens mais visitadas deste blog

"Eu nunca o vi bêbado" - uma entrevista com o editor de Bukowski (RARIDADE)

John Martin foi o editor de Bukowski durante grande parte de sua carreira, e é por isso que você agora sabe quem é Buk e você o ama ou odeia. Foi o que ele nos contou sobre sua conta.





Bukowski e sua esposa Linda. Fotos via Getty Images

Seja qual for a sua opinião de Bukowski - que você acredita que um niilista talentoso que só pensou em beber e foder, a voz de uma geração, ou um pouco de ambos - é inegável que era uma figura fundamental na história literária de Los Angeles. Por esse motivo, quando faz alguns anos trabalhamos no número do programa (o tema de Hollywood), decidi entrar em contato com John Martin, o editor de Bukowski. No final, a entrevista não foi publicada e permaneceu no rascunho até alguns dias atrás, quando decidimos publicá-la.


Se existe uma pessoa viva que pode dizer que conheceu o verdadeiro Charles Bukowski, essa pessoa é Martin. Martin foi o editor de Bukowski durante grande parte de sua carreira, e é por isso que você agora sabe quem é Buk e você o ama ou odei…

Exclusive Stephen King Interview - Entrevista exclusiva de Stephen King

Stephen Edwin King (born September 21, 1947) is an American author of contemporary horror, suspense, science fiction and fantasy. His books have sold more than 350 million copies[2] and many of them have been adapted into feature films, television movies and comic books. King has published fifty novels, including seven under the pen name Richard Bachman, and five non-fiction books. He has written nearly two hundred short stories, most of which have been collected in nine collections of short fiction. Many of his stories are set in his home state of Maine. King has received Bram Stoker Awards, World Fantasy Awards, British Fantasy Society Awards, his novella The Way Station was a Nebula Award novelette nominee,[3] and his short story "The Man in the Black Suit" received the O. Henry Award. In 2003, the National Book Foundation awarded him the Medal for Distinguished Contribution to American Letters.[4] He has also received awards for his contribution to literature for his …

fundo transparente para criar imagem PNG

---------------------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------------ passe o mause em cima da parte branca entre as duas linhas tracejadas , clique com o botão direito do mause  e copie o fundo transparente para criar imagem PNG
Criar e imprimir cartão de visita e flyer