Pular para o conteúdo principal

DICA DO DIA

A mulher do tarô


Tinha um pobre coitado que andava o dia todo com uma placa, pra baixo e pra cima na volta do mercado público. Eu ficava olhando o sujeito e pensando: “Que vida de merda! O que um cara tem que fazer para ganhar uns trocados? Na placa estava escrito: Adivinho sua sorte! Tiro feitiço e curo qualquer mau olhado. -  Eu tava olhando de maneira bem mau para a placa e o sujeito. Resolvi me aproximar e disse : – E aí meu velho? Beleza?
- Tudo legal! Ele respondeu.
- Me diz uma coisa onde é este lugar?
Ele apontou para uma portinha entre duas lojas do outro lado da rua, e disse: – É ali moço.
- E o que eles fazem?
- Madame lê cartas de tarô. Ela é muito boa, leva este papel e ela te da um desconto.
Alcançou-me um pedaço de xerox onde estava escrito que valia 10% de desconto.  
- Obrigado. Agradeci e atravessei a rua, a porta estava aberta e no fundo da sala tinha uma mulher sentada atrás de uma mesa. O lugar era um prédio caindo aos pedaços e que fedia a mofo. Se espirrasse ali dentro poderia desmoronar tudo.
Mas, a mulher não era de todo mal, morena de cabelos cacheados e seios fartos, que pareciam que iam pular para fora do decote do vestido. Usando uma maquiagem pesada. Uma mistura de prostituta de rua com a brega de uma doméstica saída de alguma vila muito ordinária.
- Oi. Você tá livre agora? - Perguntei.
- Sim, meu senhor. Senti que o senhor precisa de ajuda. -Ela respondeu.
- Qual seu nome? Perguntei.
- Claudia. E o seu? Ela perguntou.
- Jeux. Gostaria de ver como é este negócio de tirar sorte.
- Pode se sentar, fique à vontade.
Ela acendeu um incenso fedorento e pegou um baralho velho e foi embaralhando enquanto me sentava na sua frente. Fiquei olhando ela embaralhar e ao mesmo tempo ficava olhando o decote e vendo aquele rego entre os seios. Claudia tinha uns 30 anos, bem judiada, os seios grandes e flácidos, os pneus de gordura apareciam na sua cintura, formando algumas camadas, pareciam pneus de bicicletas empilhados, quadril largo. Um vestido floral ridículo e sapatos vermelhos que combinavam com a boca vermelha, o cabelo cacheado e pintado de preto. Ela colocou uma carta na mesa e falou:
- Vejo que você tem uma paixão mal resolvida.
- Pode ser. - Respondi.
Colocou outra carta na mesa, deu uma respirada. Dava pra ver que ela estava toda suada. Fiquei imaginando qual seria o modelo da calcinha e a cor. Puxei minha cadeira para mais perto da mesa.
- Ela ainda te ama muito. Claudia continuou.
- Verdade?
- Sim, e vejo que vem boa notícia.
Fiquei sem tirar os olhos do rosto dela, aquela boca vermelha, lábios carnudos, a língua. Abri o zíper das minhas calças e coloquei o pau para fora e comecei a massagear.
- Sim, ela lhe ama de verdade e vocês vão casar. Ela continuou após colocar outra carta na mesa.
- Que bom.  - Respondi.
Ficava olhando seu rosto e ia descendo até o decote, olhava tudo, suas mãos, braços, o corpo volumoso. Toda aquela decoração ridícula e o local decadente. Fiquei de pau bem duro, e continuei à medida que ela ia tirando as cartas e falando eu ia massageando com mais vontade.
- Você está gostando das revelações? - Claudia Perguntou.
- Sim, muito. - Respondi com a voz meio presa, estava tenso. Quase gozando.
Ela foi colocando as cartas e falando. Fiquei apenas olhando e me masturbando até gozar. Apenas direcionei para o lado o meu pau e gozei por baixo da mesa. Não sei onde minha porra foi parar. No final ela falou que tudo iria ficar bem. Eu ia ter muito dinheiro, casar com a mulher que eu amava, ter um monte de filhos e.... - Guardei meu pau, fechei o zíper e a paguei. Ela ficou feliz e eu consegui relaxar. Agradeci por tudo, levantei e fui embora.
Quando saí na rua, quase dei de cara com o sujeito da placa que estava bem na frente da porta falando com uma senhora, quando ele viu que eu estava saindo veio em minha direção.
- E ai como foi? - O sujeito perguntou.
- Você tinha razão, ela é muito boa. - Respondi.
Continuei andando e o sujeito ficou próximo à porta, minha mão ainda estava meio melada e limpei nas calças.




Ofertas:

Postagens mais visitadas deste blog

"Eu nunca o vi bêbado" - uma entrevista com o editor de Bukowski (RARIDADE)

John Martin foi o editor de Bukowski durante grande parte de sua carreira, e é por isso que você agora sabe quem é Buk e você o ama ou odeia. Foi o que ele nos contou sobre sua conta.





Bukowski e sua esposa Linda. Fotos via Getty Images

Seja qual for a sua opinião de Bukowski - que você acredita que um niilista talentoso que só pensou em beber e foder, a voz de uma geração, ou um pouco de ambos - é inegável que era uma figura fundamental na história literária de Los Angeles. Por esse motivo, quando faz alguns anos trabalhamos no número do programa (o tema de Hollywood), decidi entrar em contato com John Martin, o editor de Bukowski. No final, a entrevista não foi publicada e permaneceu no rascunho até alguns dias atrás, quando decidimos publicá-la.


Se existe uma pessoa viva que pode dizer que conheceu o verdadeiro Charles Bukowski, essa pessoa é Martin. Martin foi o editor de Bukowski durante grande parte de sua carreira, e é por isso que você agora sabe quem é Buk e você o ama ou odei…

Exclusive Stephen King Interview - Entrevista exclusiva de Stephen King

Stephen Edwin King (born September 21, 1947) is an American author of contemporary horror, suspense, science fiction and fantasy. His books have sold more than 350 million copies[2] and many of them have been adapted into feature films, television movies and comic books. King has published fifty novels, including seven under the pen name Richard Bachman, and five non-fiction books. He has written nearly two hundred short stories, most of which have been collected in nine collections of short fiction. Many of his stories are set in his home state of Maine. King has received Bram Stoker Awards, World Fantasy Awards, British Fantasy Society Awards, his novella The Way Station was a Nebula Award novelette nominee,[3] and his short story "The Man in the Black Suit" received the O. Henry Award. In 2003, the National Book Foundation awarded him the Medal for Distinguished Contribution to American Letters.[4] He has also received awards for his contribution to literature for his …

fundo transparente para criar imagem PNG

---------------------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------------ passe o mause em cima da parte branca entre as duas linhas tracejadas , clique com o botão direito do mause  e copie o fundo transparente para criar imagem PNG
Criar e imprimir cartão de visita e flyer