Pular para o conteúdo principal

DICA DO DIA

O amor de uma vida em uma semana



Comecei a receber aquele monte de mensagens apaixonadas, todo dia tinha uma nova mensagem em minha caixa de mensagem. Passávamos horas conversando sobre banalidades e outras coisas que normalmente não fazem sentido. A não ser que você esteja apaixonado. E ai vem à cilada. Ela insistia em nós encontrar para conversar a respeito do assunto. Tinha visto suas fotos no facebook e parecia não ser nada mal. Mas aquele amor instantâneo não parecia ser algo real. Falar de redes sociais e falar de realidade parece ser algo muito virtual.
- Oi amor, que dia você vai vir? Ela disse.
- Estou pensando em ir amanhã, - eu disse – mas ainda não sei.
- Vem logo amor, eu te amo.
- Mas eu posso ficar ai com você?
- É claro querido! Vou adorar, estou morrendo de saudades.
- Mas não nos conhecemos.
- Mas eu te amo muito, quando vi sua foto vi que tínhamos algo muito forte.
- Você viu nas fotos?
- Sim, eu quero muito você.
- Então amanhã eu vou.
E todo dia conversávamos a mesma coisa, sempre deixando para outro dia. Ela me amava de verdade, completamente apaixonada. Comecei a pensar a respeito dos meus próprios sentimentos.  De alguma forma tinha que me apaixonar também, não podia deixar passar aquela oportunidade.
- Hoje comprei uma roupa nova, para o nosso encontro.
- Me mande uma foto.
- É surpresa, só vai ver se vir.
- Estou indo, mas quero ver, estou com saudades.
- Ta, eu vou mandar.
Passei um bom tempo olhando o monitor e coçando o saco, esperando a foto da roupa nova. Imaginando o quanto sexy poderia ser. E mais um monte de bobagens passando por minha cabeça. Enquanto esperava.  Consegui fumar uns dois cigarros, coçar a cabeça, me levantar, fazer alguns exercícios. E a foto? Nada de foto, fui ao banheiro dar uma mijada, voltei para a sala. Olhei o monitor do computador, e continuava inerte. Passei pela sala em direção a cozinha e fiz um café. O que leva uma pessoa a centenas de quilômetros, comprar uma roupa nova e dizer para um total estranho que ele é a sua alma gêmea, ou sei lá o que.
Já estava começando a escurecer e lembrei que tinha ficado de me encontrar com uma mulher que conheci na outra noite no bar. Ela iria ao encontro, ou tinha apenas sido gentil na noite anterior. Não consigo entender o que as mulheres pensam e falam, parecem ser casos isolados, o pensamento e a fala.
Na tela do computador surgiu uma fotografia, nada de especial, nada sexy. Parecia ser uma roupa perfeita para ir à missa ao domingo. Eu não iria viajar todos aqueles malditos quilômetros, para me encontrar com uma mulher vestida com uma roupa de ir a missa no domingo.
- Você gostou? Ela perguntou em sua mensagem.
- Posso ver sua calcinha? Eu respondi com outra pergunta.
- Humm, não!
- Mas você não quer que eu vá?
- Sim, eu quero muito, mas não vou lhe mostrar.
- Seja legal, é só nos dois, ninguém vai saber.
- Mas e se você mostrar para outra pessoa.
- Tudo bem, você não vai saber.
E ficamos naquele empurra e empurra, até começar a chegar às fotos que interessavam, ela usava calcinha preta de renda, uma mini-calcinha que se perdia no meio de tanta carne. Comecei a achar que nem era tão distante sua casa. Realmente o amor é algo surpreendente, de repente se está apaixonado.  Mais fotos foram chegando, e cada foto com menos roupa e mais poses. Comecei a achar que o destino tinha nos unido. Existem muitos destinos quando se fala com muitas mulheres ao mesmo tempo. Quantas almas gêmeas existem para cada pessoa. Já tinha perdido a conta.
- Você me ama? Ela disse.
- Qual o seu endereço, mesmo? Eu disse.
- Você vai vir amanhã?
- É claro!
Claro que não iria perder aquela oportunidade de encontrar o meu grande amor, grandes seios, grande bunda, grande tudo. E roupas minúsculas e posições que dariam inveja a qualquer atriz pornô. Mas ela era do tipo seria, vivia dizendo que queria um relacionamento serio. Achei realmente incrível todo aquele amor e paixão que ela demonstrava na ultima semana.  Encerrei a conversa e fui me arrumar para encontrar a mulher do bar.
Para minha surpresa, acordei no outro dia sozinho, com uma única certeza. A mulher do bar não tinha ido ao encontro e eu tinha bebido todas e mais algumas. Minha cabeça latejava, meu estomago queimava. O quarto todo rodava, e em toda direções tinha vomito. O porre tinha sido bom. Passei o resto do dia na cama com a sensação de ter esquecido algo.  Quando lembrei rastejei para fora da cama em direção ao computador. Liguei o aparelho, que fez um barulho estranho como o de um avião ligando as turbinas. Entrei na rede e fui direto em seu perfil. Lá estava ela, ou melhor, as fotos dela. Totalmente apaixonada e abraçada em outro sujeito. Tinha varias fotos na mesma postagem, abraçada, beijando-o, andando de mãos dadas, tudo estava lá. E o texto era bem significativo, não tinha nada de indireto em suas palavras. “hoje passei um dia maravilhoso com o meu grande amor” era isso. Seu grande amor avia lhe visitado, e a mensagem continuava “é lindo quando duas almas gêmeas se encontram”, “Deus é maravilhoso”...

É realmente este negocio de almas gêmeas é muito serio, mesmo, principalmente em redes sociais. Por este motivo que eu acredito no amor ao primeiro perfil. A mulher do bar vai voltar hoje?  Fico pensando.


Ofertas:

Postagens mais visitadas deste blog

"Eu nunca o vi bêbado" - uma entrevista com o editor de Bukowski (RARIDADE)

John Martin foi o editor de Bukowski durante grande parte de sua carreira, e é por isso que você agora sabe quem é Buk e você o ama ou odeia. Foi o que ele nos contou sobre sua conta.





Bukowski e sua esposa Linda. Fotos via Getty Images

Seja qual for a sua opinião de Bukowski - que você acredita que um niilista talentoso que só pensou em beber e foder, a voz de uma geração, ou um pouco de ambos - é inegável que era uma figura fundamental na história literária de Los Angeles. Por esse motivo, quando faz alguns anos trabalhamos no número do programa (o tema de Hollywood), decidi entrar em contato com John Martin, o editor de Bukowski. No final, a entrevista não foi publicada e permaneceu no rascunho até alguns dias atrás, quando decidimos publicá-la.


Se existe uma pessoa viva que pode dizer que conheceu o verdadeiro Charles Bukowski, essa pessoa é Martin. Martin foi o editor de Bukowski durante grande parte de sua carreira, e é por isso que você agora sabe quem é Buk e você o ama ou odei…

Exclusive Stephen King Interview - Entrevista exclusiva de Stephen King

Stephen Edwin King (born September 21, 1947) is an American author of contemporary horror, suspense, science fiction and fantasy. His books have sold more than 350 million copies[2] and many of them have been adapted into feature films, television movies and comic books. King has published fifty novels, including seven under the pen name Richard Bachman, and five non-fiction books. He has written nearly two hundred short stories, most of which have been collected in nine collections of short fiction. Many of his stories are set in his home state of Maine. King has received Bram Stoker Awards, World Fantasy Awards, British Fantasy Society Awards, his novella The Way Station was a Nebula Award novelette nominee,[3] and his short story "The Man in the Black Suit" received the O. Henry Award. In 2003, the National Book Foundation awarded him the Medal for Distinguished Contribution to American Letters.[4] He has also received awards for his contribution to literature for his …

fundo transparente para criar imagem PNG

---------------------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------------ passe o mause em cima da parte branca entre as duas linhas tracejadas , clique com o botão direito do mause  e copie o fundo transparente para criar imagem PNG
Criar e imprimir cartão de visita e flyer