Pular para o conteúdo principal

DICA DO DIA

Oitavo capítulo - novela - negociante de almas - Röhrig C. - lançamento 2015 - livro




08
Voltei para o apartamento à noite. Liguei para o Bernardo e combinei de tomar o café da manhã com ele. Bernardo conhecia há mais tempo a família Baum. Ele deveria saber de alguma coisa. Aquela historia toda não estava cheirando bem. Afinal de contas quem era este Sr. Ângelus? E que negocio ele tinha com o finado Anderson. Muitas perguntas e nenhuma resposta.  Encontrei dificuldades para pegar no sono, mas por fim consegui.
Na manhã seguinte, quando tomamos café juntos, comentei com Bernardo:
- Você conhece um sujeito meio estranho chamado Ângelus?
- Isso é nome – ele disse -, não conheço ninguém com um nome desses. Pergunte ao padre, parece até nome de anjo.
E começou a gargalhar.
- Estou falando serio!
- Eu também! Fale com o padre.
E continuou a rir, quase se engasgando com o café.
- Mas por quê? – perguntei.
- Só tem um problema.
- Qual?
- Simplesmente ele não pode falar. Nenhum padre pode falar.
E ficamos apenas olhando um para o outro. De repente o ar da sala havia ficado pesado. Ele largou a xícara na mesa e acendeu um cigarro. Falando pausadamente:
- Você acredita que algumas coisas que acontecem por acaso. Na verdade não existe acaso.
- Acredito em qualquer coisa.
Aí ele resolveu se levantar e eu o acompanhei. Fomos até os fundos da funerária. Ficamos andando entre os caixões no deposito. Parava na frente de cada caixão e explicava nos mínimos detalhes do que era feito e em qual tipo de situação era usado. Bernardo conhecia sua profissão como ninguém. Ele falava com paixão e orgulho. Lembrava o nome de cada morto que já tinha passado por ali.
Bernardo olhou para mim. E apontou para o caixão que estava ao lado.
- Este é perfeito pra você.
- Não obrigado. Ainda não estou precisando.
Ele falava como um alfaiate. Mostrava os caixões, como quem mostra ternos em uma loja.
- Olha o acabamento desta tampa, foi toda esculpida na mesma peça de madeira. Não tem nenhuma parte colada ou pregada.
Percebi que não íamos chegar a lugar nenhum. Fui andando até a frente da loja. Parei na entrada e fiquei observando a rua através da vitrine. As pessoas passavam pela calçada como se nada tivesse acontecido. Como se nada estivesse acontecendo. Desviavam o olhar da vitrine. Numa total negativa da possibilidade da morte. Apenas as crianças, paravam na frente da loja e espiavam para dentro através da vitrine. Elas tinham esta curiosidade a respeito do desconhecido.
Essa funerária estava ali desde quando eu podia me lembrar. Lembrava-me que já conhecia o local desde sempre. A única funerária da cidade. Todos que morriam na cidade passavam por ali. Bernardo era o ultimo lugar que alguém ia antes de virar comida dos vermes e ser esquecido no fundo de alguma cova ou mausoléu. 

Ofertas:

Postagens mais visitadas deste blog

"Eu nunca o vi bêbado" - uma entrevista com o editor de Bukowski (RARIDADE)

John Martin foi o editor de Bukowski durante grande parte de sua carreira, e é por isso que você agora sabe quem é Buk e você o ama ou odeia. Foi o que ele nos contou sobre sua conta.





Bukowski e sua esposa Linda. Fotos via Getty Images

Seja qual for a sua opinião de Bukowski - que você acredita que um niilista talentoso que só pensou em beber e foder, a voz de uma geração, ou um pouco de ambos - é inegável que era uma figura fundamental na história literária de Los Angeles. Por esse motivo, quando faz alguns anos trabalhamos no número do programa (o tema de Hollywood), decidi entrar em contato com John Martin, o editor de Bukowski. No final, a entrevista não foi publicada e permaneceu no rascunho até alguns dias atrás, quando decidimos publicá-la.


Se existe uma pessoa viva que pode dizer que conheceu o verdadeiro Charles Bukowski, essa pessoa é Martin. Martin foi o editor de Bukowski durante grande parte de sua carreira, e é por isso que você agora sabe quem é Buk e você o ama ou odei…

Exclusive Stephen King Interview - Entrevista exclusiva de Stephen King

Stephen Edwin King (born September 21, 1947) is an American author of contemporary horror, suspense, science fiction and fantasy. His books have sold more than 350 million copies[2] and many of them have been adapted into feature films, television movies and comic books. King has published fifty novels, including seven under the pen name Richard Bachman, and five non-fiction books. He has written nearly two hundred short stories, most of which have been collected in nine collections of short fiction. Many of his stories are set in his home state of Maine. King has received Bram Stoker Awards, World Fantasy Awards, British Fantasy Society Awards, his novella The Way Station was a Nebula Award novelette nominee,[3] and his short story "The Man in the Black Suit" received the O. Henry Award. In 2003, the National Book Foundation awarded him the Medal for Distinguished Contribution to American Letters.[4] He has also received awards for his contribution to literature for his …

fundo transparente para criar imagem PNG

---------------------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------------ passe o mause em cima da parte branca entre as duas linhas tracejadas , clique com o botão direito do mause  e copie o fundo transparente para criar imagem PNG
Criar e imprimir cartão de visita e flyer