Pular para o conteúdo principal

DICA DO DIA

O fim do relacionamento não é o fim do amor

O fim do relacionamento não é o fim do amor
A alguns anos eu estava numa reunião de casais e um palestrante falou como as pessoas se distanciam. Ele disse: dois navios que começam uma jornada lado a lado e aos poucos sem perceberem vão se afastando e tomando rotas diferentes. Foi algo mais ou menos assim que ele explicou.
É verdade a vida às vezes nos faz fazer escolhas erradas. A pior coisa que pode existir num relacionamento são os conselhos externos. Normalmente todo mundo tem um bom conselho errado para dar. Porque ninguém sabe o que se passa entre duas pessoas.
Outra coisa é a briga para ver quem tem mais razão, ao invés de tentar entender os motivos do outro. Vira uma competição de quem é bom e de quem é mau. Pura falta de equilíbrio e bom senso.
Brigar pelo posto de liderança é outra coisa que não faz sentido. O que deve se ter é união e trabalho em conjunto. Focar em um sonho em que ambos participam e respeitando os sonhos individuais de cada um.
Qualquer briga acaba com os dois derrotados, não existem vencedores. Porque começa uma competição aonde cada um vai guardando as magoas para a próxima briga. E se transforma em um ciclo vicioso.
É fácil durante a briga esquecer-se dos momentos bons, pensar que tudo está errado e que não tem mais solução. Mas não é verdade, ninguém fica com alguém o tempo todo brigando. Você passa mais tempo se amando do que brigando, mas acaba esquecendo-se de dar o legitimo valor aos momentos bons e supervaloriza os momentos ruins.
Tem que se assumirem os erros, e não ficar jogando toda a culpa no outro. Já conversei com varias pessoas que são separadas e até hoje, apenas escutei historias de que elas eram o lado bom e a outra pessoa o lado ruim. Mas será mesmo? Eu acho que não. No inicio quando me separei até passei um bom período acusando minha ex. por tudo o que tinha acontecido. Mas hoje eu penso nessa historia dos dois barcos. E vejo o quanto eu estava errado também. Os dois erraram. No meu caso não existe mais concerto, mas devem existir muitos casais por ai que ainda dá tempo. Tudo é uma questão de parar, largar as armas e conversar de coração aberto e tentar entender o lado do outro.
Não é todo o dia que você encontra uma pessoa: amiga; cúmplice; que tenha uma química que combine; com quem você pode sonhar; criar um projeto de vida; que o simples fato de estar junto torna tudo perfeito.
Amar não combina com orgulho, ego, competição.
No final tanto eu como ela vencemos, ao nosso modo, nossas brigas. E o prêmio foi à separação.
De todos os conselhos que recebi durante o meu casamento o mais sábio foi:
- A escolha é sua, você é que tem que decidir.
 Antes de brigar com a pessoa que está ao seu lado, lembre-se de tudo que já passaram juntos. Conversem, sejam parceiros, cúmplices, dividam suas duvidas e angustias. Não esperem que a pessoa adivinhe o que você esta pensando. Ela não pode adivinhar você tem que dizer. E acima de tudo muito amor, respeito compreensão e confiança.

Se um dia eu encontrar aquele palestrante, vou ter que dizer pra ele que nós não demos o devido valor a historia que ele contou.  Mas a vida me fez aprender de uma maneira um pouco mais dura. Agora é seguir em frente, e guardar todas as lembranças boas e importantes de um período da minha vida. E não guardo nenhuma magoa, pelo contrario fico agradecido pelo tempo que durou. 

Ofertas:

Postagens mais visitadas deste blog

"Eu nunca o vi bêbado" - uma entrevista com o editor de Bukowski (RARIDADE)

John Martin foi o editor de Bukowski durante grande parte de sua carreira, e é por isso que você agora sabe quem é Buk e você o ama ou odeia. Foi o que ele nos contou sobre sua conta.





Bukowski e sua esposa Linda. Fotos via Getty Images

Seja qual for a sua opinião de Bukowski - que você acredita que um niilista talentoso que só pensou em beber e foder, a voz de uma geração, ou um pouco de ambos - é inegável que era uma figura fundamental na história literária de Los Angeles. Por esse motivo, quando faz alguns anos trabalhamos no número do programa (o tema de Hollywood), decidi entrar em contato com John Martin, o editor de Bukowski. No final, a entrevista não foi publicada e permaneceu no rascunho até alguns dias atrás, quando decidimos publicá-la.


Se existe uma pessoa viva que pode dizer que conheceu o verdadeiro Charles Bukowski, essa pessoa é Martin. Martin foi o editor de Bukowski durante grande parte de sua carreira, e é por isso que você agora sabe quem é Buk e você o ama ou odei…

Exclusive Stephen King Interview - Entrevista exclusiva de Stephen King

Stephen Edwin King (born September 21, 1947) is an American author of contemporary horror, suspense, science fiction and fantasy. His books have sold more than 350 million copies[2] and many of them have been adapted into feature films, television movies and comic books. King has published fifty novels, including seven under the pen name Richard Bachman, and five non-fiction books. He has written nearly two hundred short stories, most of which have been collected in nine collections of short fiction. Many of his stories are set in his home state of Maine. King has received Bram Stoker Awards, World Fantasy Awards, British Fantasy Society Awards, his novella The Way Station was a Nebula Award novelette nominee,[3] and his short story "The Man in the Black Suit" received the O. Henry Award. In 2003, the National Book Foundation awarded him the Medal for Distinguished Contribution to American Letters.[4] He has also received awards for his contribution to literature for his …

fundo transparente para criar imagem PNG

---------------------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------------ passe o mause em cima da parte branca entre as duas linhas tracejadas , clique com o botão direito do mause  e copie o fundo transparente para criar imagem PNG
Criar e imprimir cartão de visita e flyer