Pular para o conteúdo principal

DICA DO DIA

com prazer - historias de derniers jeux


Dava as boas vindas, enquanto secava um copo de chopp. Eu fiquei parado olhando para ele sem acreditar que o sujeito estivesse vivo, pensei até que ele deveria ser um boneco de cera. A atmosfera do local era abafada, sombria, cheirando a mofo, cigarro, trago, sexo e morte.

- Uma cerveja, garoto? - Gritou o garçom.

- Pode ser, meu amigo. - Respondi e fui me aproximando do balcão.
Quis bancar o durão e tomei a cerveja encostado no balcão, eu era o cara, curtido pela noite, experiente. Podia foder todas as putas dali e não pagar nenhuma. Ainda seria capaz de pegar a grana do cafetão. Mas, só nos meus pensamentos. Dei um tempo apreciando a decoração, os espelhos, iluminação, música. Quando corri meu olhar por todos os lados parando numa mesa.

Ofertas:

Postagens mais visitadas deste blog

fundo transparente para criar imagem PNG

---------------------------------------------------------------- ------------------------------------------------------------------ passe o mause em cima da parte branca entre as duas linhas tracejadas , clique com o botão direito do mause  e copie o fundo transparente para criar imagem PNG

livros mais vendidos na amazon, dica de leitura, kindle, ebook, book, baixe agora

livros mais vendidos na amazon, terceira semana em destaque, aproveite e leia agora
adquira o seu exemplar também
Lista de mais vendidos da Amazon:
#2 em Livros > Infantil e Infantojuvenil > Ficção Científica, Fantasia e Terror > Terror de dar Calafrios
click no link e aproveite

A ÚLTIMA VIAGEM DO LUSITANIA - ERIK LARSON

A ÚLTIMA VIAGEM DO LUSITANIA ERIK LARSON ormato(s) de venda:livro, e-bookTradução:Berilo VargasPáginas:432Gênero:Não FicçãoISBN:978-85-8057-850-8E-ISBN:978-85-8057-851-5Lançamento:27/10/2015
Em 1o de maio de 1915, com a Primeira Guerra Mundial chegando a seu décimo mês, um luxuoso transatlântico saiu de Nova York com destino a Liverpool, com um número recorde de bebês e crianças a bordo. Era uma surpresa que os passageiros estivessem tão tranquilos, já que a Alemanha declarara os mares ao redor da Inglaterra como zona de guerra e havia meses os submarinos alemães levavam terror ao Atlântico Norte. Mas o Lusitania era um dos maiores e mais rápidos navios em serviço, e seu capitão, William Thomas Turner, acreditava piamente no cavalheirismo de guerra que por um século evitou que navios civis fossem atacados. No entanto, a Alemanha estava determinada a mudar as regras do jogo, e Walther Schwieger, o capitão do Unterseeboot-20, estava feliz em colaborar. Enquanto isso, um serviço de inteligên…